O Correio da Manhã publicou, no passado dia 19, um artigo muito interessante intitulado «Praia rejuvenesce a pele». Neste trabalho, poderão ler os depoimentos muito interessantes de Vítor Baião, presidente da PSO Portugal – Associação Portuguesa de Psoríase, ou Paulo Ferreira, Dermatologista na Cuf Descobertas. Não percam. Eis um excerto:

[...] Para que não haja dúvidas, “a psoríase é uma doença inflamatória crónica, não contagiosa, auto-imune e sistémica, uma vez que afecta o organismo como um todo”, explica Paulo Ferreira, coordenador da Unidade de Psoríase do Hospital Cuf Descobertas, em Lisboa.

Tendo em conta que esta patologia se caracteriza pela aceleração da maturação ou renovação das células da epiderme, levando ao aparecimento de uma camada espessa na superfície da pele, “o sol, em doses e duração adequadas, é benéfico porque ajuda na modelação das células” e na regressão e cicatrização das lesões, acrescenta o dermatologista. Assim, não há qualquer contra-indicação à exposição solar dos 125 milhões de pessoas com psoríase no Mundo, desde que sejam cumpridas algumas regras, tais como a aplicação de um bom protector solar, o resguardo nas horas de maior calor e a hidratação da pele. Recomendações que, na verdade, deveriam ser seguidas por todos, com ou sem psoríase. [...]