A psoríase é uma doença de pele que pode aparecer em todas as idades, pese embora o seu aparecimento seja de facto mais habitual entre os 15 e os 25 anos de idade.
No meu caso, a psoríase surgiu na adolescência, no couro cabeludo, tendo evoluído de uma identicamente incómoda Dermatite Seborreica (também conhecida por seborreia, é um problema crónico caracterizado pela inflamação e escamação da pele).

A psoríase do couro cabeludo é uma das formas de psoríase mais comuns. No entanto, pese embora a sua maior incidência, o seu tratamento é dificultado pelo facto de frequentemente ser confundida com caspa.
Como distinguir então a vulgar caspa da psoríase? É relativamente simples discernir os dois problemas: enquanto a caspa abrange todo o couro cabeludo de uma forma mais ou menos uniforme, a psoríase nesta zona do corpo forma placas muito espessas e dissemelhantes entre si. A psoríase atinge principalmente a nuca, o contorno do cabelo, atrás das orelhas e nos lóbulos. Todavia, muitas das áreas do cabelo ficam sem o problema, enquanto que a caspa é geralmente mais abrangente.
Outra forma de destrinçar caspa de psoríase é passando os dedos pelo cabelo. No caso da psoríase sentem-se saliências, devido ao crescimento das escamas e posterior junção destas entre os fios de cabelo; a caspa não se sente quando passamos os dedos pelo cabelo.
Frequentemente, a psoríase do couro cabeludo é o precursor de outras formas da doença; o meu caso não foi excepção.