Psoríase

Um blogue. Um olhar diferente.

Coriodermina

Um amigo falou-me de Coriodermina. Pelo que li, através de pesquisas na Internet, trata-se de um medicamento cubano, de aplicação tópica, produzido a partir de placenta humana. Certamente causador de alguma polémica, pelas substâncias que o constituem, este produto farmacêutico apresenta-se como uma nova esperança no tratamento da psoríase. Pelo que sei, o medicamento ainda não foi exportado de Cuba.
Alguém teve já hipótese de o experimentar?

Leia também: Pomadas para tratamento da psoríase

Termas: Psoríase curada por peixes na Turquia?

Termas de Kangal na Turquia. É aqui que, supostamente, a psoríase é curada por peixes. Porém, será o tratamento tão eficaz como tanto ouço falar? Mas a psoríase não tem cura, não é verdade? Ou será que tem?
Cyprinion macrostomus e Garra rufa. São estes os peixes que alegadamente curam a psoríase nas termas de Kangal, na Turquia.
Os peixinhos milagrosos estão nas águas termais de 36-37º e, alegadamente, limpam as lesões sem infligir qualquer dor ou ferimentos, amaciando ao mesmo tempo a pele. Segundo li, é necessário tomar pelo menos 3 banhos por dia de 2 horas cada. É ainda imprescindível que se beba da água das termas, sempre de estômago vazio e directamente da nascente.
Continuo céptico em relação a este tratamento. Alguém com opinião contrária ou que já tenha experimentado?

Amaroli (Urinoterapia) cura psoríase?

Amaroli (Urinoterapia) cura psoríase? A resposta é certamente polémica e será abordada neste post, copiado integralmente de um comentário deixado pelo leitor Daniel Martins ao artigo Cura para a psoríase estará nos Açores?. Um amigo já me tinha falado deste método de tratamento perante o meu ar pasmado, confesso. Obrigado Daniel pela participação, muito importante para lançar um debate que se espera concorrido. Aqui está o seu comentário:

Se alguém já teve sabe do pânico que é ver o seu corpo escamar como se fosse uma cera de vela, na cabeça, no peito, etc. etc.
Depois de passar por inúmeros dermatologistas (mais de 10, acreditem), pomadas, etc etc. Eu conclui que eles não poderiam me ajudar mesmo e apelei para as curas naturais. E a cura estava mais perto do que eu imaginava, estava dentro de mim. Alguém me sugeriu que fizesse o método amaroli (tomar a própria urina) coisa que abominei na hora! mas depois de alguns anos, sem sucesso e nenhum dos tratamentos, com o meu caso cada vez mais agravado, resolvi tentar às escondidas. Comprei um livro que tratava do assunto para me convencer e vi que ele fazia exatamente isso, convencia, pois o tratamento é tão simples que eu resumo em uma frase: Evitar o excesso de carnes vermelhas que dão gosto ruim a urina e comer mais frutas e verduras, e então passar a tomar a sua própria urina (eu dispensava o primeiro jato que é o que limpa o canal da uretra). Deixei um copo escondido no banheiro e todos os dias passei a tomar a minha própria urina. Primeiro quero dizer que é uma experiência única, eu me senti como se tivesse aceitando o meu corpo, como se tivesse me reequilibrando naturalmente. Mas o que interessa: após algumas semanas o incrível começou a acontecer, a total cura da psoríase, sem remédio, sem gastar um centavo!!! e para os incrédulos que vão dizer que foram as frutas e verduras e a pouca carne vermelha eu digo, enganam-se, pois já tinha feito dieta semelhante sem ao menos afetar a psoriase, aliás todas as dietas possíveis eu tentei. Enfim, foi o amaroli (o tomar a própria urina mesmo. Aí comecei a lembrar de relatos, até um dia eu vi na tv, sobre isso, de tomar a própria urina, e eu assim como as outras pessoas, condenava o método achando uma aberração. Quem diria que eu um dia teria minha vida completamente mudada pela minha própria urina. O pior foi que minha mulher quando conta que eu me curei, olha pra mim e pergunta: como foi que voce curou mesmo? hehehe, até hoje não tive a coragem de contar, por isso exponho aqui para ajudar outras pessoas. Um abraço e divulguem para quem sofre desse mal ok? Obs.: falo a mais pura verdade. Obrigado.

Psoríase: Sol pode ajudar

Muito boa esta introdução à notícia Sol é tratamento gratuito para doentes com psoríase do site da JASFarma. Todos sabemos que a praia faz bem à nossa doença; no entanto, muitos dos que sentem na pele a na mente o problema passam pela situação abaixo descrita.

Os raios ultravioletas podem ajudar a minorar a psoríase mas a vergonha impede os doentes de irem à praia. Durante o Verão, os médicos alertam a sociedade em geral para evitar o sol, no entanto os doentes com psoríase são incentivados a apanhar sol uma vez que as zonas de pele afectada quando expostas ao sol podem melhorar. Apanhar sol permite reduzir substancialmente as placas nas grandes superfícies do corpo. Apesar dos benefícios do Sol, a verdade é que quem tem a doença tem vergonha de ir à praia e mostrar o corpo. Grande parte dos cerca de 250 mil portugueses que têm esta doença crónica continuam a ser alvo de rejeição por parte dos outros e por isso vivem isolados e com vergonha de uma pele que não escolheram, mas que herdaram.

Adalimumab: novo tratamento para a psoríase

Li hoje no site Médicos de Portugal a notícia de que foi aprovado, pela Comissão Europeia, um novo tratamento para a psoríase: o adalimumab. É indicado para o tratamento da psoríase em placas, moderada a grave. Pelo que li, parece que se trata do primeiro anticorpo monoclonal totalmente humano aprovado no tratamento desta incurável doença de pele.

Um pequeno excerto do artigo que merece indubitavelmente uma leitura atenta:

Num dos estudos clínicos realizados, mais de 80% dos doentes que tomaram adalimumab alcançaram uma melhoria das lesões da pele de 75%, outros doentes apresentaram valores superiores. Nos estudos realizados, em cerca de metade dos doentes que tiveram este tratamento verificaram uma melhoria das lesões da pele de 90%, após 16 semanas de tratamento.

A psoríase é a quinta indicação do adalimumab aprovada na União Europeia. Como refere o Professor Jean-Hilaire Saurat, do Departamento de Dermatologia da Universidade de Geneve, Suiça, “a psoríase não é apenas uma doença de pele – é uma desordem sistémica e auto-imune que em formas mais graves pode exigir um tratamento sistémico”. O especialista acrescenta “o adalimumab é a primeira e única terapêutica biológica que foi comparada ao metotrexato. Esta aprovação é muito importante pois permite aos dermatologistas uma nova opção em termos de tratamento da doença”.