Psoríase

Um blogue. Um olhar diferente.

Coriodermina

Um amigo falou-me de Coriodermina. Pelo que li, através de pesquisas na Internet, trata-se de um medicamento cubano, de aplicação tópica, produzido a partir de placenta humana. Certamente causador de alguma polémica, pelas substâncias que o constituem, este produto farmacêutico apresenta-se como uma nova esperança no tratamento da psoríase. Pelo que sei, o medicamento ainda não foi exportado de Cuba.
Alguém teve já hipótese de o experimentar?

Leia também: Pomadas para tratamento da psoríase

Adalimumab: novo tratamento para a psoríase

Li hoje no site Médicos de Portugal a notícia de que foi aprovado, pela Comissão Europeia, um novo tratamento para a psoríase: o adalimumab. É indicado para o tratamento da psoríase em placas, moderada a grave. Pelo que li, parece que se trata do primeiro anticorpo monoclonal totalmente humano aprovado no tratamento desta incurável doença de pele.

Um pequeno excerto do artigo que merece indubitavelmente uma leitura atenta:

Num dos estudos clínicos realizados, mais de 80% dos doentes que tomaram adalimumab alcançaram uma melhoria das lesões da pele de 75%, outros doentes apresentaram valores superiores. Nos estudos realizados, em cerca de metade dos doentes que tiveram este tratamento verificaram uma melhoria das lesões da pele de 90%, após 16 semanas de tratamento.

A psoríase é a quinta indicação do adalimumab aprovada na União Europeia. Como refere o Professor Jean-Hilaire Saurat, do Departamento de Dermatologia da Universidade de Geneve, Suiça, “a psoríase não é apenas uma doença de pele – é uma desordem sistémica e auto-imune que em formas mais graves pode exigir um tratamento sistémico”. O especialista acrescenta “o adalimumab é a primeira e única terapêutica biológica que foi comparada ao metotrexato. Esta aprovação é muito importante pois permite aos dermatologistas uma nova opção em termos de tratamento da doença”.

Medicamentos para psoríase, artrite e espondilite aquilosante serão grátis

Custou mas foi! Doentes com artrite reumatóide, espondilite aquilosante e outros três tipos de artrite (psoriática, idiopática juvenil poliarticular e psoríase em placas) vão ter medicamentos gratuitos muito em breve.
Segundo o artigo do portal aeiou Artrite: Medicamentos gratuitos dentro de um mês:

Doentes que sofram de artrite reumatóide, espondilite aquilosante e outros três tipos de artrite (psoriática, idiopática juvenil poliarticular e psoríase em placas) vão ter uma ajuda extra. Os medicamentos necessário para o tratamento destas doenças passam a ser gratuitos, revela hoje o DN.
É a resposta do Governo a uma reivindicação antiga destes pacientes, que gastam milhares de euros por ano em remédios. Até agora, não contavam com qualquer ajuda.

Pomadas para tratamento da psoríase

O que uso para o tratamento da psoríase? De momento, recorro a três pomadas distintas. Duas delas, o Daivobet (Calcipotriol e Dipropionato de Betametasona) e o Daivonex (Calcipotriol) – ambas indicadas para o tratamento da psoríase vulgar – aplico no couro cabeludo e sobrancelhas. A terceira que uso é a Bonalfa (Tacalcitol), que coloco nas manchas corporais, incluindo uma que teima em crescer na face.
Já consultei vários dermatologistas e denoto duas opiniões completamente antagónicas no que concerne à frequência da aplicação das pomadas. Uns, afirmam que deverá ser todos os dias, esteja a pele calma ou não; outros, advogam a aplicação apenas em momentos de maior crise. Concordo mais com esta ultima ideia: não sei porquê, mas penso que a pele pode sofrer também consequências da aplicação excessiva; podendo ser, depois, pior a emenda que o soneto…